quinta-feira, 8 de maio de 2014

Aulas do Probem 2006 - Parte 1

Parábolas de Jesus

E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.
E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;
E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;
Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.
E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.
E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Mateus 13:3-9

A semente é a palavra de Deus, as que caíram à beira do caminho são aqueles que não entendem, não ouvem nem recebem a palavra (corações muito fechados). A que caiu em solo pedregoso ouvem, entendem, mas não tem consistência, esquecem fácil a ideia nova. As que caíram entre os espinhos ouvem e entendem mas estão entrelaçadas com os afazeres do cotidiano, do dia a dia e não permitem que a semente frutifique (eu gostaria muito mas não tenho tempo agora). A que caiu em terra boa aceita a palavra e a faz multiplicar em si e para os outros.
O semeador busca resultados. Ele  saiu e semeou. Nós devemos sair e agir com nossos tesouros, nossas sementes e semear. Ele passa por terras estéreis, difíceis, passa por meio de pedras em sua árdua tarefa. A colheita, os frutos virão para aquele que semeia a vida inteira, somente Deus sabe quando será a hora.



Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens.
E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.
E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.
Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.
Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.
Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.
Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;
E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?
Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Mateus 25:14-29

A filosofia de Deus é fazer o bem para si mesmo e para os outros. Os talentos foram distribuídos a cada servo conforme a sua capacidade. Um talento representava muito, e são recursos para realizar o bem a si e aos outros, são recursos materiais e espirituais. Talento hoje signiica aptidões morai, intelectuais, habilidade, força física, etc.  São recursos que Deus nos oferece.
Na parábola há o momento do acerto de contas e aquele que multiplicou os talentos com esforço e trabalho recebe o fruto que conquistou. Aquele que desperdiçou o tempo e nada frutificou perde seu talento. É castigo? Não, é apenas o fruto de sua semeadura. Multiplicar os talentos é multiplicar o bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário